Quarta-feira , 30 de Dezembro DE 2009

Mondar o Mundo

 

http://3.bp.blogspot.com/_m274UAZtqVQ/SWiU78QVhtI/AAAAAAAABiQ/T9IUGxayWcM/s400/otherdeijanus.gif
 
Esta luz que ainda resiste
Tão perto do fim,
Este frio que alimenta
Tão próximo do esgotamento,
Numa das últimas manhãs
De muitos dias, de experiências…
Debruça, estica o olhar
Para além do que está para vir.
Desejas o feliz, o bem, insiste!
Busca alguém dentro de mim,
Deixa a sabedoria da gasta sebenta!
E chegados ao alto de mais um momento
Esperançamos novas vivências, sãs.
Morrer, vestir novas existências…
É tempo de renovo, de procurar
As oportunidade do advir.
 
Na ponderação de um expirado ciclo,
Como Jano,
Contemplamos…
 
Esta luz exangue,
Este frio feito calor,
Que empurram inexoravelmente
As nossas fronteiras para o rosto das batalhas
E agitadas uma vez mais,
Exige-nos determinação
Das forças efusivas do sangue!
Demanda em nós a cumplicidade
Dos afectos incondicionais do amor!
Limpamos o corpo, limpamos a mente,
Das cicatrizes, das mágoas, das falhas;
Lustramos os troféus, os brilhos intelectuais.
Venturosos, seguimos pela mão…
Na descoberta de um destino…
 
Na prospectiva de um nascido ciclo,
Como Jano,
Sonhamos…
 
Andarilhus
XXX : XII : MMIX
 
 
... Que a vossa passagem por 2010 seja preciosa...

 

publicado por ANDARILHUS às 08:42
Segunda-feira , 28 de Dezembro DE 2009

O Sósia de DEUS

 

http://2.bp.blogspot.com/_dj857f78nAs/ScMIr_fRCkI/AAAAAAAAA7c/txbnhTiy438/s1600-h/homem.jpg
 
Ergueu-se tua mão
Na colheita do visco imaculado,
Ainda fresco, orvalhado,
Pela aura mais tímida
De tua reverência pela génese;
Animou-se tua alma
Na queima do incenso abençoado,
Já maduro, experimentado,
Pelo zénite mais confiante
Do apogeu das tuas virtudes;
Corrompeu-se tua moral
Na depuração do sacro óleo,
Transformado, domesticado,
Pela tarde mais decadente
Do declínio da tua veneração…
 
Hoje,
Que templo constróis
Em memória dos actos
De teus ancestrais pais?!
 
Nasceste em razão,
Na procura da chave,
Dos mistérios, das dúvidas,
Dos teus infindáveis medos.
Descobriste a incontestável solução:
Descobriste-O e, com Ele,
Descobriste o Poder.
Desde então,
Cresceste a Gigante, a Senhor,
Usurpando o equilíbrio, fundando o jugo…
Desde então,
Bajulando, divides, como “bom” patrão,
Como carrasco e ditador.
 
Hoje,
Que mundo edificas
Com o saber recebido
De teus vetustos pares?!
 
Negas, renegas, abnegas!
Rejeitas,
Conspurcas a verdade
Com álibis sarcásticos… gastos…
Como ilibar-te da tua autofagia?
Como rogar o perdão
Pela tua ecuménica extinção?!!!
…fugiram já tua razão,
Tuas dúvidas e teus temores.
…morreu já tua admiração pela vida,
Sucumbida à maioridade da cobiça…
Destronado,
Depressa tombou O que ungiste,
Para empunhares
O ceptro da Terra e dos Céus,
Para te agasalhares
Sob o manto do dogma,
Para cingires
A coroa de Tirano absoluto.
 
Hoje,
Que porta abres
Para o advir desconhecido
De teus descendentes filhos?
Hoje,
Que sementeira lanças
Nos céus futuros
De teus noviços herdeiros?
 
Não!!!!
Não emparedes as portas
Antes que alguém as possa atravessar;
Não devores as sementes
Antes que alguém as possa fazer germinar;
Não calcines de negro
A luz que nunca foi tua…
 
… Regressa às tuas pegadas brandas
Na Terra…
 
Andarilhus
XXVIII : XII : MMIX

 

publicado por ANDARILHUS às 09:14
Quarta-feira , 23 de Dezembro DE 2009

Natal 2009

 

 
 
A todos:
 
Oxalá...
Oxalá a felicidade toque cada um de vós com ternura;
Oxalá a saúde e a alegria habite em vossa moradia, lar também de vossa família.
Oxalá o Natal vos traga o simples e a ousadia de querer e manter o ser humano...
Oxalá o Novo Ano vos visite com muitos e belos projectos, e vos torne os sonhos tangíveis...
 
... e
Oxalá que, qualquer ser, em qualquer lugar, em qualquer momento, encontre forma e solidariedade para superar as suas dores e as suas carências elementares e afectivas...

Boas festas!!!!!!!!

Andarilhus
XXIII : XII : MMIX

 

publicado por ANDARILHUS às 16:55
Sexta-feira , 11 de Dezembro DE 2009

Em Nós

 

http://img478.imageshack.us/img478/7241/foto075b65dsb7.jpg
 
Na casa que nos guarda
Dos acasos
Que lá fora nos procuram,
Enseba a nuvem turva
Inchada de chuva barrenta
Opacidade na luz do sorriso.
Esburaca o tecto,
Arrasta a solidez das paredes,
Busca a ruína do nosso Sol …
 
Na casa que nos guarda
Das inclemências do mundo
Que nos rondam a porta,
Agita-se o oceano negro,
Em correntes letais,
Inunda a ilha do paraíso,
Afunda continentes,
Almeja a destruição do nosso cais…
 
Sempre que
Entre nós
Se emaranham rugosos nós,
O nós,
Incansável anfitrião
Da plácida sujeição
Do meu ego e do teu ego
Em sono profundo,
Esvoaçantes em partículas
Pelo sonho de diletante fundir,
Encolhe-se na sua azáfama,
Desvela o dormir que nos fascina…
 
Na casa que nos resguarda
Da amorfa solidão
Que, paciente, nos observa do mar de gente,
Irrompe o vulcão da impaciência,
Ferve em erupções ímpias,
Rasga fossos profundos,
Incinera sólidas pontes,
Cobiça aniquilar as nossas cores…
 
Na casa que nos agasalha
Dos frios da insensibilidade
Ainda habita um coração,
Que bate síncrono a dois tempos,
O meu, o teu,
No movimento harmónico
De injectar o sangue da tolerância,
Respira forte na contínua reconstrução do nós…
 
E sempre que
Entre nós
Se emaranham rugosos nós,
O nós,
Incansável anfitrião
Da plácida sujeição
Do meu ego e do teu ego
Em sono profundo,
Esvoaçantes em partículas
Pelo sonho de diletante fundir,
Redobra-se na sua azáfama,
No provir do doce dormir que nos fascina…
 
…E que liberta, imponente, o NÓS!!!!
 
Andarilhus
XI : XII : MMIX

 

publicado por ANDARILHUS às 17:05
Quinta-feira , 03 de Dezembro DE 2009

Os Votos Finais

 
 
Aqui, sentado na pedra da soleira gasta, encostado à tosca coluna que suporta a câmara velada pelo incenso fumegante, preparo-me para deixar a residência de dEUS desconhecido.
Em solene tributo, reverencio o lugar sagrado onde exorcizei a magnificência da vida, elevando as preces das criptas aluídas da alma, recolhido em marmóreas memórias do passado, contemplativo nos fenómenos do presente.
Foi doce arder nesta tribuna de labaredas afeiçoadas de fogo profano, enquanto deambulava na odisseia da minha procura. O círculo do encontro completou-se.
Oxalá.
Num derradeiro suspiro, rogo ao oráculo a dádiva da constância e a virtude da sabedoria que permita tanger a felicidade numa existência digna e almejar ser a razão de todos os teus sorrisos, até que cheguem as cinzas de prata…
E chegadas, aportados a celeste dimensão, nos braços da ousadia do destino e sob qualquer desígnio do ânimo de criação ou de destruição, poderemos sempre escutar a voz inspirada d’
                               O Oráculo do Fogo!
 
 
 
Epílogo
 
Vai peregrino!
Busca a saída por porta distinta da que te trouxe à entrada.
Guarda os teus silêncios agasalhados na bandeira pura da paz interior.
Nos diálogos das torres dos fundamentos, nos sorrisos verbalizados do coração,
Resgatarás a amizade do teu semelhante, reabilitarás o amor dos teus mais próximos
Por tua paixão pela humana condição…
 
 
Êxito
(Encerram-se os ritos)
 
Retirado de “O Oráculo do Fogo”.
 
Andarilhus
III : XII : MMIX

 

publicado por ANDARILHUS às 16:57

BI

pesquisar

 

Dezembro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
29
31

posts recentes

últ. comentários

  • Obrigado!Depois, publicarei os dados/relatos das j...
  • Boa Sorte!!! Já me falaram tão bem dos Pirineus qu...
  • E sempre com o privilégio do teu apoio, amigo!Abra...

mais comentados

Tombo

Visitas

Flag Counter

Viagens

Chegar-se à frente

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro